quinta-feira, 13 de outubro de 2011

imagem: Markus


O mundo aparece demasiado explicado.
Teu jeito calado indica esperança,
mas quem diz que não é remorso?

Sou fiel aos hábitos; tu, aos mistérios.
Não coincidimos nossa lealdade.
Suporto, sobrevives.

O que adianta transbordar
se não dás conta do mínimo?
O que adianta me retrair
se não percebo o invisível?


Fabrício Carpinejar