domingo, 29 de janeiro de 2012

imagem: MaXu



Não por mim, pelo teu rosto
que encontrei nas mãos do vento.
Pensas que te está beijando,
e eu sei que te vai corroendo.

Não por mim, pelas palavras
que o teu lábio está dizendo.
Pensas que as fico escutando
e escuto é o teu pensamento.

Não por mim, mas por ti choro,
– por teu pálido momento.
Vou-te dando a vida toda,
e assim mesmo vais morrendo.


Cecília Meireles