segunda-feira, 2 de abril de 2012

Receita para respirar encantos



Cataventos de desertos e ondas
De cujas fendas refulgem fumaças
E o sincero odor de oásis e ilhas
Dançar bailarinas e caprichos
Ao nascer do inesgotável
Inquietar as formas das amarras
Manchar as febres de candeios
Perceber a floração dos equinócios
E extrair das palmas o sacro
Esgueirar-se pelos cerros
Entre pantalhas e lençóis.


Whisner Fraga