terça-feira, 15 de maio de 2012

Dan Brown, O símbolo perdido


Luz!

O vazio sem fim em que Langdon pairava foi subitamente preenchido por um sol ofuscante. Raios de intensa luz branca penetraram a escuridão, queimando sua mente.
Havia luz por toda a parte.
De repente, de dentro da nuvem radiante à sua frente, surgiu uma linda silhueta. Um rosto... embaçado e indistinto... dois olhos que o fitavam do vazio.
Raios de luz cercavam aquela face, e Langdon imaginou se estaria fitando o semblante de Deus.


Dan Brown, O símbolo perdido