quinta-feira, 3 de maio de 2012

fonte da foto: Muge Basak Fashion & Art & Music 


Envolvo num murmúrio as flores
que o verso me dá. As pétalas
têm a cor dos lábios que
as cantam; e o pólen sabe ao mel
dos dedos que as colheram,
uma tarde, enquanto o sol
descia sobre os ombros nus
das colinas. Pisei-as com os pés
da estrofe, e o vinho do amor
destilou de um mosto de
sensações. Bebo-o do copo
do teu corpo; e uma embriaguez
de rosas alastra na vinha
do poema.


Nuno Júdice