sábado, 14 de julho de 2012



Com os dedos pintados de branco,
ela ajoelhou-se na terra,
para chorar a solidão dos homens.
Que anjo se movimenta
no discreto brilho que paira nos seus ombros?
De noite, as janelas de todas as casas
hão-de incendiar-se.
Um clarão perpassará os olhos
dos que avistam o sul
através da evocação das pombas
evadidas do inverno.
Ela continuará de joelhos,
longamente chorando a solidão dos homens.


Graça Pires