quarta-feira, 4 de julho de 2012

Esto es mi cuerpo...



Esto es mi cuerpo. Aquí
coinciden el lenguaje y el amor.
La suma de las líneas
que he escrito ha dibujado
no mi rostro, sino algo más humilde:
mi cuerpo. Esto que tocas es mi cuerpo.
Otro lo dijo
mejor. Esto que tocas
no es un libro, es un hombre.
Yo añado que esto que te toca ahora
es un hombre.
Soy yo, porque no hay
ni una sola sílaba que esté libre de amor,
no hay ni una sola sílaba
que no sea un centímetro
cuadrado de mi piel.
En el poema soy acariciable
no menos que en la noche, cuando tiendo
mi sueño paralelo al sueño que amo.
No mosaico, ni número, ni suma.
No sólo eso.
Esto es una entrega. Soy pequeño
y grande entre tus manos.
Ésta es mi salvación. Éste soy yo.

Este rumor del mundo es el amor.


Juan Antonio González Iglesias


***


Isto é o meu corpo. Aqui
coincidem a linguagem e o amor.
A soma das linhas
que escrevi desenhou
não o meu rosto, mas algo mais humilde:
o meu corpo. Isto que tocas é o meu corpo.
Outro disse-o
melhor. Isto que tocas
não é um livro, é um homem.
Sou eu, porque não há
nem uma só sílaba que esteja livre de amor,
não há nem uma só sílaba
que não seja um centímetro
quadrado da minha pele.
Posso ser acariciado no poema
tanto quanto na noite, quando estendo
o meu sono paralelo ao sono que amo.
Nem mosaico, nem número, nem soma.
Não apenas isso.
Isto é uma entrega. Sou pequeno
e grande nas tuas mãos.
Esta é a minha salvação. Este sou eu.
Este rumor do mundo é o amor.