quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Sonnet 116

willem haenraets


Let me not to the marriage of true minds
Admit impediments. Love is not love
Which alters when it alteration finds,
Or bends with the remover to remove.
O no! it is an ever-fixèd mark
That looks on tempests and is never shaken;
It is the star to every wand'ring bark,
Whose worth's unknown, although his height be taken.
Love's not Time's fool, though rosy lips and cheeks
Within his bending sickle's compass come;
Love alters not with his brief hours and weeks,
But bears it out ev'n to the edge of doom.
If this be error and upon me proved,
I never writ, nor no man ever loved.


William Shakespeare 

***


Que não admita eu ao casamento de verdadeiras mentes
Impedimento algum. Aquele amor não é amor
Que se altera ao encontrar alteração,
Ou se dobra com a retirada do retirante:
Ah, não; é uma marca para todo o sempre fixa,
Que encara tempestades e jamais se altera;
É a estrela de todo barco que se aventura,
Cujo valor não se sabe, mesmo que a altura possa ser tomada.
O amor não se engana com o Tempo, apesar de lábios e rostos rosados
Estarem dentro do compasso de sua foice curva;
O amor não se altera com suas breves horas e semanas,
E a tudo aguenta até a beira do fim-do-mundo.
Se isso estiver errado, e que me o provem,
Eu nunca escrevi nada, nem ninguém jamais amou.