segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Enigma

Ennio Montariello


Procurei um graal que pudesse pousar nos teus ombros,
para o encher com o filtro que embriaga os deuses
famintos de amor. Mas tu soltaste os cabelos
e escondeste-me o teu corpo, para que eu entrasse
na sua floresta em busca de uma clareira. Perdi-me
por entre as folhas e flores de uma vegetação de
murmúrios; e quando ouvi um canto de pássaros
anunciarem a madrugada, já não precisei de
nenhum graal para descobrir o teu segredo


Nuno Júdice